Partos /Nascimentos Sorocaba - SP

Vídeo - Nascimento do Dante

Que presente foi esse nascimento!!!
Que momento maravilhoso....que honra fazer parte dele...e que alegria ser convidada para assistir (ops registrar) tanto empoderamento!!

Pensa em um parto avassalador....intenso...às pressas...???

Assim foi o nascimento do Dante!
Vivian teve um trabalho de parto MEGA rápido..à jato...apenas 2h30!!!
Dante era seu segundo filho...
E apesar das contrações intensas, ela estava bem confiante em seu corpo, serena e entregue.

Vivian chegou ao hospital e um pouco mais de 20 minutos depois ele já estava nascendo. Chorou um pouquinho e ao ficar no colo da mãe, logo se acalmou e não chorou mais.

Aquela recepção linda...calorosa...cheia de amor!
E assim os dois ficaram por um bom tempo.

Depois foi só alegria...momento de rir da situação (correria) e de celebrar essa nova vida!

Seja muito bem vindo Dante!



RELATO DE PARTO -
E o Dante nasceu!

“(...) reflexo no espelho, levo a emoção a lágrima ameaça do olho cair semente fecundou, já começa a existir

é cria, criatura e criador cuida de quem me cuidou pega na minha mão me guia” (Cria, Maria Rita)

E na noite do dia 05 de agosto de 2018, um domingo frio de inverno, o nosso menino, Dante, sentiu-se pronto para nascer e, assim, iniciar a sua vida fora do meu corpo.

Este sensível e belo registro fotográfico realizado pela Wanessa Pickler leva a reviver os intensos momentos vividos e conta, por si só, nossa história, minha e dele, de parir e de nascer, cercados por muito amor e de uma assistência humanizada e respeitosa.

Naquela noite, comecei a sentir contrações doloridas às 19h. Ainda não muito fortes e com intervalos longos (em torno de 10 minutos). Em casa, estávamos eu, meu marido Moises Ulhoa Guedes, nossa filha Laura e minha Mãe Lourdinha Barros Avisei a equipe e fomos nos comunicando à distância. Nesse início, entre uma contração e outra, fiz várias tarefas: jantei, brinquei com a Laura, organizei a sua mochila para ir à Escola no dia seguinte, separei o uniforme e a coloquei para dormir junto com o Moisés. Em torno de 21h as contrações aumentaram em ritmo, duração e intensidade, ou seja, chegou o trabalho de parto ativo. A partir desse momento, sem chances de fazer outras coisas... hora de somente me concentrar, para suportaras intensas dores das contrações e conseguir relaxar e recuperar as energias nos intervalos entre elas... Fiquei por um tempo debaixo do chuveiro bem quente. Apoiava os braços em um banquinho e deixava a água quente cair na lombar. É ótimo para aliviar as dores. Uma analgesia natural. Depois disso, os momentos de dor eram suportados com respiração e massagem feita pelo Moisés ou por minha mãe.

A enfermeira obstreta veio até a nossa casa para me examinar. 6 centímetros de dilatação e contrações muito intensas. Decidimos ir para o Hospital. Sai de casa pensando que em algum momento do dia 06 teria o Dante em meus braços, quem sabe antes do dia amanhecer. No entanto, a partir daí, foi tudo bem rápido. Fui de 6 para 10 centímetros à jato. Após chegar ao Hospital, em poucos minutos, começou o período expulsivo e o Dante nasceu ainda no dia 05, às 23:35, com 38 semanas e 4 dias de gestação. Mais uma vez, assim como no parto da Laura, instintivamente fui para a posição de quatro apoios e pedi ao Moisés que ficasse na minha frente, oferecendo o seu apoio físico, para que eu pudesse me segurar nele, e emocional. Sinto-me aliviada por ter sido respeitada em relação à escolha da posição do parto, bem como de ter tido total liberdade para me movimentar e ficar do jeito que quisesse. Ao me imaginar sendo colocada na posição tradicional (posição de litotomia, ou seja, de barriga para cima e com as pernas elevadas), o que sinto é desespero – sensação de falta de ar, de insegurança e de falta de capacidade para conseguir fazer nascer o bebe. Por outro lado, em quatro apoio, a minha sensação foi de segurança e força. Assim consegui suportar a intensa dor do período expulsivo de forma natural, sem intervenções médicas e farmacológicas, que sempre geram maiores riscos e, com isso, se for possível e suportável evitá-las, melhor será para a saúde e a recuperação.

Dante nasceu cheio de saúde e de forma muito tranquila (quase não chorou). Pesou 3.625kg e mediu 49,5 cm. Apareceu para o mundo com o seu vigoroso cordão umbilical enrolado no pescoço (Atenção! Nascer assim de parto normal pode. Não representa risco para o bebe e se trata de mais uma indicação desnecessária de cesárea).

Dante veio direto para os meus braços e assim ficamos por horas, até o dia amanhecer, agarradinhos e aconchegados um ao outro, pele com pele, como se ainda estivéssemos em um só corpo. Mamou na primeira hora após o nascimento. Moisés junto de nós o tempo todo. Como no parto da Laura, cortou o cordão umbilical (o que ocorreu somente alguns minutos após o nascimento). Eu, inundada pelos hormônios do parto (alguns especialistas dizem “dos hormônios do amor”), passei a madrugada acesa, ligadona, concentrada em proporcionar primeiras horas de vida cheias de amor, tranquilidade e proteção a ele

E os procedimentos médicos com o bebê? A avaliação da vitalidade (teste do apgar) foi feita com ele em meus braços. As outras avaliações e testes somente algumas horas após o parto e dentro do quarto, com o acompanhamento meu e do Moisés.

O parto dói, dói muito, e nos exige muita energia (uma verdadeira maratona). Graças a uma assistência humanizada, respeitosa, segura e baseada em evidências científicas atualizadas conseguimos, mais uma vez, ter um parto saudável para mim e o bebe. Fomos respeitados o tempo todo e isso foi essencial para termos uma vivência prazerosa deste momento e com a segurança de que o melhor foi feito. Conseguimos realizar nossa primeira opção, ou seja, um parto natural, que utilizasse somente métodos não farmacológicos para o alívio da dor e acontecesse sem intervenções médicas. Conseguimos também que o Dante fosse cuidado em suas primeiras horas de vida da forma como antes havíamos decidido porque entendemos ser o melhor a ser feito por ele.

Mas, mesmo que tivesse sido diferente, acredito que o nosso sentimento não mudaria, pois teríamos a segurança de que as intervenções realizadas teriam sido, de fato, necessárias para garantir a nossa saúde e bem-estar e que tais decisões teriam sido tomadas com a nossa informação e consentimento.

Agradeço à equipe que nos acompanhou, a doula Michelle Antunes Rochaa enfermeira obstetra Ana Paula Garbulho e o obstetra Bráulio Zorzela. Agradeço por nos acolherem já com 30 semanas de gestação e por todas as informações, atendimentos e vivências que aconteceram desse período até o nascimento do Dante. Sem vocês a brusca mudança de vida teria trazido muita insegurança para esse momento. Chegar em Sorocaba e saber que vocês existiam foi um alívio. Equipe do Bem Gerar http://www.bemgerar.com/site/

Agradeço à obstetra Quesia Tamara Villamil, que nos acompanhou no pré-natal até 30 semanas e também por tudo que fez por nós desde a nossa primeira gestação até o nascimento da Laura.